quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Um olhar aos finalistas: CDUL.

Depois de uma apresentação do campeão nacional, olhamos agora para aquele que tem vindo a ser a melhor equipa neste campeonato: o CDUL.

Sem ganhar o campeonato há mais de 20 anos o o clube da cidade universitária adoptou uma estratégia de há anos para cá que consiste numa aposta em jogadores da formação. A grande prova disso é a utilização de muitos sub-21 durante os jogos deste ano, coroada com a boa exibição dos mesmos. Bernardo Silveira e Francisco Appleton são bons exemplos de dois jogadores ainda com idades do escalão de sub-21 e que são preponderantes nos seniores. Mas essa aposta não ficou por aqui.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Um olhar aos finalistas: Direito.

Com o aproximar da fase final do campeonato, começam as apostas sobre o clube que vai vencer o Campeonato Super Bock 2010/11. CDUL, Agronomia, Direito já estão qualificados, restando apenas um lugar que será ocupado ou pelo Belenenses ou pela Académica.

Nos últimos anos os lugares foram ocupados por aqueles que chegaram a ser apelidados como os 4 grande do rugby nacional, mas este ano aparece uma sombra do Norte do país que pode muito bem trazer novidades. Independentemente disso é notória a diferença destes 5 clubes para os restantes, a começar pelos jogadores internacionais que completam os seus planteis. Com estes internacionais, na variante de VII ou em XV, os planteis deste clubes começam a ganhar uma estabilidade competitiva, onde os mais velhos podem e devem transmitir essa experiência aos mais novos. E um exemplo de sucesso dessa estratégia é certamente o Direito.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Convocados para os treinos da selecção

Jacques chamado aso Lobos
Com o aproximar de Janeiro, Errol Brain e Frederico Sousa preparam-se para aquela que será a mais importante fase da selecção nacional de XV: o Torneio das Nações que se realiza entre Fevereiro e Março.

Apesar de ainda não poderem contar com os jogadores portugueses a actuar em França, como Julien Bardy, Gonçalo Uva, Anthony Alves e outros, foram chamados para os treinos 31 jogadores das mais diversas equipas do Campeonato Super Bock. Direito, Agronomia e CDUL aparecem com vários jogadores entre os chamados para o XV surgindo logo a seguir Belenenses e Académica com 3 cada. Surpresa ou não, Manel Castro Pereira, jogador sub-21, que continua a merecer a confiança dos treinadores nacionais.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Belenenses ou Académica?

Com o Natal à porta o rugby português arrumou as chuteiras durante uns tempos... a competição nacional apenas volta em Janeiro e logo com muita por se decidir.

No "Campeonato Super Bock" CDUL, Agronomia e Direito já garantiram um lugar na fase final. Na sua companhia irá estar ou Belenenses ou Académica. Há muito tempo que não se via um campeonato tão equilibrado e com luta até ao final. 

David Mateus
O Belenenses que mudou de treinador recentemente (Albertino Minhoto substituiu o neo-zelandês Kevin Horan), prepara-se para uma partido do tudo ou nada frente ao Benfica, que não poderá contar com Andres Odstrill, médio formação argentino que se lesionou contra a Agronomia. Este é um jogo onde muito do futuro do Belenenses estará em jogo.
Do lado de Coimbra o desafio parece mais fácil. O pretos recebem o lanterna vermelho naquele que será o último jogo do CRAV na Divisão de Honra. A vitória não deverá fugir aos jogadores de Coimbra, mas isso pode não ser suficiente. Para atingir a tão desejada (e merecida) fase final os pretos precisam que o Belenenses perca.

Vai certamente ser uma jornada de nervos onde o Belenenses vai tentar ultrapassar um Benfica com quem perdeu na primeira volta, iniciando depois desse jogo um ciclo de desafios onde não esteve à altura do que nos habituou. Foram 6 jogos e apenas duas vitórias contra os últimos classificados, Técnico e CRAV. ~Por outro lado a Académica fez o percurso inverso em 6 jogos da 2ª volta apenas perdeu 2 (Agronomia e Direito) tendo garantido ponto bónus defensivo em ambos os jogos.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Grandes jogos e grandes decisões

Agronomia e Belenenses vão entar em campo naquele que será o jogo da jornada.
Prevê-se mais um fim-de-semana emocionante no que diz respeito ao Rugby. No campeonato nacional o 1º classificado vai jogar às Olaias num jogo onde a vitória e o pontos bónus não lhes devem fugir. Independentemente disso, com vitória ou não e como o conjunto universitário já garantiu a passagem à fase final, apenas resta a dúvida de irá usar muitos jogadores não tão utilizados ou se deverá apresentar um XV com as suas principais armas.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Finalistas da 1ª Divisão na luta até à final!!

O Argentino Diego, é uma mais valia da formação de Cascais.
Já se conhecem os clubes qualificados para a final four da 1ª Divisão. Cascais, Montemor, CDUP e Évora (finalista da época passada) vão lutar pelo lugar que dá acesso ao "Campeonato Super Bock 2011/2012". Se o CDUP, que desceu do Campeonato Super Bock na época passada, e o Évora, que marcou presença na final da 1ª Divisão na época 2009/10 tendo perdido para o CRAV, aparecem com principais candidatos, o Cascais é uma equipa que se reforçou bastante para um único objectivo (voltar a figurar entre os grandes rugby nacional) enquanto o Montemor aparece com um outsider que merece bastante respeito.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Defender mais e melhor!

Contra as Ilhas Fiji sofreram-se 5 ensaios.
A selecção portuguesa de VII conseguiu perder muito do que tinha conquistado no primeiro dia o torneio do Dubai. Depois de ter ganho à Inglaterra numa vitória histórica que mereceu destaque da IRB, o jogo foi considerado como o momento do dia, e de uma vitória frente à França que contava com nada mais nada menos que 7 jogadores de clubes do TOP14, os Lobos foram perder diante de uma Rússia e frente ao Zimbabwe, na Taça Bowl, ficando em penúltimo lugar no torneio.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Fiji vs Portugal Dubai 7's 2010

Dubai Sevens: Play of the Day

Com distinção mas sem glória.

Adérito Esteves frente às Fiji no jogo inaugural do torneio.
A participação portuguesa no primeiro dia de rugby do Dubai foi uma das que mereceu maior destaque da imprensa mundial. Para a história ficou a vitória sobre a Inglaterra, uma das candidatas ao título do circuito.

O torneio começou logos com o jogo entre as ilhas Fiji e Portugal. Com uma vitória para a equipa do pacífico, aos Lobos restava olhar para a frente a ganhar às selecções europeias: Inglaterra e França. E não é que foi mesmo?
Com uma grande exibição daquele que é o melhor marcador do primeiro dia de sevens no Dubai, o ponta do CDUL, Frederico Oliveira, os Lobos conseguiram superiorizar-se ao conjunto inglês e alcançar aquela que foi a primeira vitória de sempre frente a Inglaterra. Com esta vitória Portugal pode-se orgulhar de já ter ganho a todas as selecções do Reino Unido.
Frederico Oliveira, com cinco ensaios em 3 jogos, é o melhor marcador do torneio.
Moralizados com a vitória e uma possibilidade de marcar presença entre as 8 melhores selecções do torneio na Taça principal (Taça CUP), os Lobos foram para cima dos Franceses no último jogo do dia. Com um Frederico Oliveira, mais uma vez, endiabrado tanto na defesa como na ataque (pode ser o próximo lobo a partir para terras gaulesas), a vitória acabou por sorris para os portugueses.

Classificação final do Grupo D.
Apesar desta vitória a Taça CUP não estava garantida. Faltava-se jogar o Inglaterra - Fiji para saber quais a equipas a ficar em 1º e 2º lugar. Um empate ou uma derrota da Inglaterra era o suficiente, pois no confronto directo levava-se vantagem, fruto da vitória portuguesa, mas a sorte não estava do lado português. A Inglaterra com um jogo muito táctico e forte levou a melhor sobre as ilhas do pacífico e conseguiu assim os 3 pontos acabando a fase de grupos empatada com Portugal e Fiji.

Com este resultado e os muitos pontos sofridos diante das ilhas Fiji os lobos ficaram com a pior diferença de pontos (-10) e assim perderam para as ilhas Fiji  (49) e Inglaterra (15) a possibilidade de figurar entre as 8 melhores do Torneio.
A merecida festa depois da vitória frente à Inglaterra.
Apesar de tudo, conquistaram-se 7 pontos, o que para muitas selecções é o suficiente para passar à Taça Cup. Para Portugal não foi, mas mais uma vez provou-se que se está no bom caminho e os Lobos mereciam estar na Taça CUP. Mas agora há que olhar em frente e trazer a Taça Bowl para Lisboa. Para tal teremos que vencer a Rússia na partida referente aos 1/4 de final.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Diogo Mateus fora Dubai e de George.

"Pipoca" vai capitanear os Lobos no Dubai e e George.
O capitão da selecção de VII portuguesa, Diogo Mateus, não vai poder contribuir para os torneios do Dubai e de George (Àfrica do Sul), devido ao cartão encarnado visto no jogo da 9º jornada diante do Arcos de Valdevez.
Com 72 internacionalizações pela selecção portuguesa em XV e 29 presenças em torneios do Circuito Mundial de Sevens da IRB, o centro do Belenenses, que actua como talonador na variante de VII, foi suspenso e fica assim afastado de toda a competição, tanto pelos Lobos como pelo seu clube. Com esta suspensão ao jogador azul, o capitão da selecção passa a ser ser Pedro Leal, que assumia o papel de vice-capitão.
Sebastião da Cunha, um jogador de Sevens.
Com a saída do experiente Diogo Mateus entrou o jovem ponta do CDUL Francisco Apletton. Aos 20 anos o jogador da equipa universitária, que já leva 2 ensaios no Campeonato Super Bock, é chamado por Tomaz Morais e vai assim marcar presença no seu segundo Torneio do Circuito Mundial da IRB depois de no ano passado ter participado no Torneio de Hong Kong.

Convocados:
  1. Sebastião da Cunha - Belenenses
  2. Frederico Oliveira  - CDUL
  3. Pedro Leal - Direito (Cap)
  4. Diogo Mirada - Belenenses
  5. David Mateus - Belenenses
  6. Sérgio Franco - Académica
  7. Luís Sousa - Direito
  8. João Mirra - Belenenses
  9. Hugo Valente - Belenenses
  10. Gonçalo Foro - CDUL
  11. Adérito Esteves - Direito
  12. Francisco Apletton - CDUL
Treinador: Tomaz Morais
Treinador-adjunto: Pedro Netto
Manager: Francisco Martins
Fisioterapeuta: José Carlos Gomes
Adérito Esteves será uma seta apontada à área adversária.
Portugal parte com uma equipa que inclui jogadores com muitos jogos de VII nas pernas como Pedro Leal, Sebastião da Cunha, David Mateus, Gonçalo Foro, João Mirra e Adérito Esteves e ainda jogadores como Hugo Valente (4 torneios), Sérgio Franco (1 torneio), Francisco Apletton (1 torneio) e Luís Sousa, que faz a sua estreia em torneio da IRB.

Esta ausência de Diogo Mateus vem mostrar a disciplina com que a FPR está a agir nas incidências nos jogos ou até mesmo agressões ou falta de fair-play dos jogadores. Contudo fica por assinalar uma suspensão a Juan Severino, Rui D'orey e Jorge Segurado (o único que cumpriu a suspensão) que na final do ano passado viram um encarnado na final do Campeonato.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Lobos de Novembro..


Terminaram os três jogos teste dos Lobos. Frente a Canadá, Namíbia e EUA, três conjuntos que preparam o Campeonato do Mundo, os Lobos mostraram uma grande evolução, querer e qualidade que nos permite sonhar com voos mais altos.

O último jogo diante do Canadá foi dos três, o menos conseguido. Com um cansaço físico e psicológico que era evidente, o treinador nacional preparou o jogo com cuidado e com algumas ausências, principalmente a de Juan Severino, um jogador que vinha a ser um dos melhores do pack avançado. Apesar destas contrariedades o conjunto português conseguiu ainda assim assustar os Canadianos com dois ensaios muito rápidos nas pontas. António Aguilar e Gonçalo Foro, com um ensaio cada, mostraram estar à frente na luta por um lugar nessas posições.

Joe Gardener, José Pinto, Frederico Oliveira, Gonçalo Foro e António Aguilar são os candidatos a melhor jogador do Portugal-Canadá. Não perca a oportunidade e vote já naquele que para si teve o melhor desempenho!!

Jogaram por Portugal:
  1. Francisco Fernandes (João Júnior)
  2. João Correia
  3. Christian Spachuck (Bernardo Costa Duarte)
  4. Rui D'orey (Eduardo Acosta)
  5. Gonçalo Uva
  6. Vasco Uva
  7. Julien Bardy
  8. Tiago Girão (Laurent Balangué)
  9. José Pinto
  10. Joe Gardener (10)
  11. António Aguilar (5)
  12. Pedro Silva (Francisco Mira)
  13. Frederico Oliveira
  14. Gonçalo Foro (5)
  15. Pedro Leal
Não foi a melhor exibição, mas ficou na retina dos portugueses um bom futuro com estes jogadores. Existem muitos jogadores para as diferentes posições e com a rotatividade efectuada pelos treinadores são poucos aqueles que aparecem como prováveis titulares.
Primeira linha em acção diante dos EUA. (foto: António Lamas)
Na 1ª linha Christian Spachuck teve um regresso em grande aos Lobos e parece ter o seu lugar assegurado a nº3. O mesmo não se passa com a camisola nº1. Francisco Fernandes, que já tinha deixado boas impressões no Torneio Europeu das Nações em 2010 conta agora com a concorrência de Anthony Alves que com apenas 21 anos é uma promessa assegurada para os Lobos. Com iguais possibilidades de alinhar no XV mas que, por razões diversas, não jogaram tanto neste mês estão Jorge Segurado e João Júnior (que entrou muito bem diante do Canadá). E não se deve esquecer aquele que poderá ser o maior pilar português, Ivo Morais, que diante dos EUA foi um dos responsáveis pelo banho de mellee que os lobos deram no último ensaio. Se na 2ª linha há dúvidas, na 2ª e na 3ª a questão é menos complicada. A provável 2ª linha titular será Gonçalo Uva e Juan Severino. Estes dois estiveram muitos bem em todos os jogos e neles deve residir a primeira escolha. Atrás deles, Eduardo Acosta e Rui D'orey parecem ser os mais lançados. 
Bardy foi o melhor em campo por 2 vezes. (foto: António Lamas)
A 3ª linha esteve em destaque em todos os jogos e a dupla de treinadores deve manter esses jogadores. Vasco Uva, Julien Bardy e Tiago Girão foram gigantes em todos os encontros e devem vestir as camisolas 6, 7 e 8 dos lobos. Mas na calha está mais uma revelação: Laurent Balangué. Este luso-francês entrou em todos os jogos e mostrou sempre bastante disponibilidade e garra nos jogos. É um jogador que pode desempenhar qualquer papel na 3ª linha sendo que aquele que está mais habituado é ao papel de asa.
José Pinto esteve sempre em destaque no comando das tropas. (foto: António Lamas)
Nos três-quartos José Pinto (sub-capitão) é titularíssimo. O nº9 do Direito esteve em grande plano em todos os jogos e foi dos melhores (senão o melhor) no último jogo. A Abertura uma aposta mais que ganha. Joe Gardener dá outra lateralidade ao jogo. Seja com o jogo à mão ou ao pé, "big show Joe", consegue colocar a bola rapidamente onde quer e lançar o jogo apartir daí. Ao seu lado Joe deverá ter Pedro Silva e Frederico Oliveira. Se o primeiro, não realizou exibições de bom nível  a verdade é que não comprometeu e e foi uma boa ajuda para Joe, assim como para Fred. Contudo é bom que Pedro não se esqueça que logo atrás dele tem um Francisco Mira motivadissimo por agarrar um lugar agora que Diogo Mateus deixou o XV.
Fraderico Oliveira, a revelação, e Francisco Mira. (foto: António Lamas)
Mas se o lugar de 1º centro pode estar tremido, o de 2º está mais seguro. É unânime a opinião de que Frederico Oliveira foi uma aposta ganha nessa posição. Começou mal, mas acabou muito bem tendo, inclusivamente, sido dos melhores em campo contra o Canadá. Resta uma dúvida, irá Pedro Mello e Castro colocar Fred a 2º centro no CDUL ou o mesmo continua a ponta?
António Aguilar é o melhor marcador de sempre da selecção com 16 ensaios. (foto: António Lamas)
No três de trás a aposta deverá ser António Aguilar, Gonçalo Foro e Pedro Leal. Estes três jogadores estiveram bem contra o Canadá e se os jogadores do Direito foram sempre titulares, o do CDUL respondeu sempre muito bem quando foi chamado. José Lima, Bernardo Silveira, Duarte Moreira, Diogo Coelho e Sérgio Franco devem ser os jogadores que poderão ter uma oportunidade caso algum dos actuais jogadores se mostre indisponível...

Foram bons jogos onde se viu um bom apoio dos portugueses. Errol Brain e Frederico Sousa já ganharam a confiança dos portugueses e mostraram desde logo trabalho.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Portugal vs Canadá

Juan Severino não está disponivel para dar o seu contributo frente ao Canadá no jogo do próximo sábado. O 2ª linha de Agronomia, quem vem sendo dos melhores jogadores no pack avançado, encontra-se lesionado e será substituido pelo 2º linha do Direito Rui D'orey.
O 2ª linha dos campeões tem estado em evidência e realizado boas exibições.
Rui D'orey com 25 anos contabiliza 4 jogos ao serviço da selecção e vê premiada as suas exibições no campeonato, onde tem vindo a ser um jogador preponderante na equipa de Monsanto, tendo marcado já 3 ensaios.
 
Mas as alterações da selecção protuguesa não se ficam por aqui. Anthony Alves que regressou a França (certamente que voltará a ser chamado), foi susbtituido pelo regressado Christian Spachuck. O pilar argentino, naturalizado português, que teve que regressar ao seu clube, volta a estar disponivel para jogar por Portugal (as disponibilidades dos jogadores a actuar em França devem-se ao presidente da FPR que esteve em Setembro passado em França em negociações com os clubes para que os jogadores portugues pudessem jogar por Portugal). Quam saíu da convocatória foi José Lima. Com 18 anos o centro formado no Évora mostrou ser um jogador com muito potencial mas no jogo diante da Namibia esteve menos bem sendo preterido por Gonçalo Foro, que entrou bastante bem contra a selecção do continente africano.

Também na convocatória mas a começar no banco estão Eduardo Acosta (que regressa de uma lesão) e ainda Bernardo Silveira. Com 20 anos, o centro do CDUL que contabiliza 4 ensaios no campeonato, pode-se estrear já no próximo sábado pela selecção principal.
Christian Spachuck regressa depois de mais uma jornada na PRO.D2.

  1. Francisco Fernandes
  2. João Correia
  3. Christian Sapachuck
  4. Rui D'orey
  5. Gonçalo Uva
  6. Vasco Uva
  7. Julien Bardy
  8. Tiago Girão
  9. José Pinto
  10. Joe Gardener
  11. António Aguilar
  12. Pedro Silva
  13. Frederico Oliveira
  14. Gonçalo Foro
  15. Pedro Leal
  16. João Júnior
  17. Bernardo Costa Duarte
  18. Eduardo Acosta
  19. Laurent Balangué
  20. Pedro Cabral
  21. Francisco Mira
  22. Bernardo Silveira
Com esta equipa nota-se uma contínua aposta em Pedro Silva e Frederico Oliveira. Os dois centros têm estado melhores em jogos diferentes. Se diante dos EUA Pedro Silva esteve bem realizaando uma exibição segura, o ponta do CDUL, Frederico Oliveira, não conseguiu realizar uma exibição convicente. Contudo, diante da Namíbia foi o oposto,onde o centro do Belenenses não esteve tão bem quanto o ponta do CDUL. Espera-se que neste jogo possam estar os dois ao mesmo nível.. e que este seja o melhor.

A 3ª linha da selecção está encontrada. Vasco Uva, Tiago Girão e Julien Bardy tem realizado jogos verdadeiramente espectaculares. Se o Julien vem sendo eleito como o melhor jogador em campo, já Vasco e Girão têm estado a um grande nível, reduzindo a diferença competitiva existente entre os dois e o luso-francês.

Antevê-se um bom jogo, com Portugal a tentar fazer uma surpresa. Já se percebeu que os objectivos da selecção subiram de nível. Depois de muitos anos onde se escalaram muitos patamares (o que para muitos era impossível), como a conquista das 6 Nações B ou a qualificação para o Mundial, apartir de agora as exigências são outras. Há que mostar que o que se conquistou antes não foi fruto de um acaso, nem de uma geração. Julien Bardy, Tiago Girão, Pedro Leal, Pedro Silva, Francisco Fernandes, Gonçalo Uva, Joe Gardener e ainda Frederico Oliveira, Anthony Alves, Bernardo Costa Duarte, Laurent Balangué, José Lima e muitos mais, são a prova de que se pode ir mais longe. Existem objectivos concretos, existem equipas técnicas a trabalhar bem e muitos outros jogadores a querer uma oportunidade. Contra o Canadá é mais um jogo teste, mas que o passemos com distinção... com uma vitória!!

Portugal vs Canadá
Sábado, dia 27 de Novembro às 15h00, no Estádio Universitário.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ponta da Académica entra no top 5

Com 7 ensaios o jogador da Académica vai para o Dubai representar os Lobos.
Sérgio Franco, um dos jogadores mais rápidos do campeonato nacional, entrou directamente no top 5 dos melhores marcadores (enasios) depois de ter marcado 2 ensaios na recepção ao Técnico. O ponta da Académica que tem vindo a efectuar uma boa época leva já 35 pontos em 9 jornadas, tem-se destacado nas últimas jornadas onde marcou 5 ensaios nos últimos 3 jogos (CRAV, Belenenses e Técnico).

A boa forma de Franco levou Tomaz Morais a convoca-lo para a selecção de Sevens, para disputar os primeiros torneios do Circuito Mundial da IRB (Dubai e George). Com esta convocatória, Franco vai falhar os jogos frente ao Direito e também frente ao Benfica naquele que será um jogos decisivo às aspirações Académicas.

Pedro Cabral é o melhor marcador
Na tabela de melhores marcadores (Penalidades e Conversões), assim como o Top-5 (geral) a liderança está À muitas jornadas atrás entregue a Pedro Cabral que apesar de não ter joagdo nas últimas jornadas continua a liderar com 82 pontos aos postes e 2 ensaios. Logo atrás de Cabral está Francisco Serra que também falhou as últimas jornadas, desta feita por lesão.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Na máxima força para o Dubai.

Um dupla só com olhos para os Sevens.
Tomaz Morais e Pedro Netto, que assumem a tempo inteiro a selecção de VII, já revelaram a primeira convocatória para o primeiro torneio do Circuito Mundial de Sevens da IRB. E não houve espaço para surpresas.
Com o aproximar dos Jogos Olimpicos de 2016, assim como a valorização do jogo de rugby de 7, os objectivos desta selecção podem passar por um grande desempenho desportivo neste ano, tentando alcançar um dos melhores resultados de sempre dos Lobos neste circuito. É inmportante que assim  seja e que Portugal se assuma como uma das melhores selecções europeias nesta variante (Gales e Inglaterra são as melhores da Europa).

David Mateus e Sebastião da Cunha são dois jogadores que se dedicam totalmente aos VII's. 
 Para que tal aconteça existem jogadores e apoios, para além de uma equipa técnica dedicada a tempo inteiro. Diogo Mateus, David Mateus, Sebastião da Cunha e Adérito Esteves, que optaram por se dedicar a tempo inteiro a esta selecção, estão na convocatória e aparecem como seus principais embaixadores.

Diogo Mateus, o capitão da selecção de VII.
 Neste primeiro torneio realizado no Dubai, a equipa portuguesa irá defrontar na fase de grupos 2 das candidatas ao título, Inglaterra e Fiji, para além de uma selecção da Frabnça que conta agora com sete jogadores do Top-14.
A tarefa não será nada fácil, mas em contrapartida os técnicos da selecção optaram por convocar uma das selecções de VII mais fortes dos últimos tempos. Com os jogadores de XV Pedro Leal, Frederico Oliveira e Gonçalo Foro entre os convocados, esta selecção pode ambicionar bons resultados.
  • Do Belenenses: Sebastião da Cunha, Diogo Mateus (cap.), David Mateus, Diogo Miranda, Hugo Valente e Jão Mirra;
  • Do Direito: Pedro Leal, Luis Sousa e Adérito Esteves;
  • Do CDUL: Gonçalo Foro e Frederico Oliveira;
  • Da Académica: Sérgio Franco.

Convocados para o Canadá

No ultimo jogo entre as duas equipas o Canadá venceu por 22-13.
Os Lobos terminam a sua série de 3 test matches no próximo sábado diante da 14º classificada no raking mundial da IRB. O Canadá que veio à Europa defrontar apenas selecções da European Nations Cup (6 Nações B), venceu a Espanha por esclarecedores 60-22 e perdeu no fim-de-semana passado em Tiblissi por 22-15.

Esta partida que opõem os Lobos frente ao Canadá é mais uma partida que pode estar ao alcance dos jogadores portugueses. O jogo português evoluiu muito nos últimos tempos e a nível de avançados a história é completamente diferente. Em dois jogos já se marcaram 2 ensaios atravaés do pack avançado: um primeiro frente ao EUA por uma mellee e o segundo no passado sábado num maul dinâmico. É obra, principalmente se nos lembrarmos que tanto os EUA e a Namíbia vão estar presentes no Mundial da Nova Zelândia em 2011.
Da última equipa que defrontou o Canadá constavam nomes como Kadosh, Valter Jorge e Diogo Gama.
Mas este não é o principal destaque desta equipa técnica. Frente à Namíbia notou-se uma grande capacidade jogar de todos os lados do campo. Foram muitas as vezes que o nº15 nacional Pedro Leal jogou à mão em vez de pôr a bola nos 22 adversários. Esta nova estratégia pode vir a dar muitos frutos, pois é conhecida a boa capacidade técnica dos jogadores nacionais e explorar essa qualidade pode pôr equipas como a Geórgia e a Roménia em grandes dificuldades. A questão que se põe é se frente ao Canadá se usará a mesma estratégia: Jogar à mão ou colocar o jogo nos 22 adversários? É que do outro lado vai estar o capitão dos Bedford Blues equipa Inglesa que se encontra em 2º lugar do Campeonato Inglês, James Pritchard, assim como muitos internacionais na variante de Sevens.

De qualquer maneira os Lobos vão se apresentar em grande forma e para isso vem a boa notícia de que Julien Bardy pode estar disponivel a tempo de jogar no sábado.

Da equipa americana, destacamos:
  • Kevin Tkachuk - pilar dos Glasgow Warriors (8º classificado da Magners League)
  • Josh Jackson - 2ª linha do Stade Montois (10º classificado da Pro-D2)
  • Aaron Carpenter - nº8 do Plymouth Albion (9º classificado do Championship-2ª Divisão)
  • James Prtitchard - defesa do Bedford Blues (2º classdificado do Championship-2ª Divisão)
  • Phillip Mackenzie - centro do Esher RC (11º classificado do Championship-2ª Divisão)
  • DTH van der Merwe - centro dos Glasgow Warriors (8º classificado da Magners League)
  • Tyler Hotson - 2ª linha do Plymouth Albion (9º classificado do Championship-2ª Divisão)
  • Sean Michael Stephen - 3ª linha do Plymouth Albion (9º classificado do Championship-2ª Divisão)
Na equipa portuguesa o grande destaque vai par o regresso de Christian Spachuck em troca com Anthony Alves. Certamente que esta troca se deve à liubertação dos clubes, pois tanto um como outro são imprtantes para o grupo e já deram provas disso.
Além desta alteração os grupo de trabalho que vai preparar o próximo jogo é igual ao do jogo com a Namíbia.
    Duarte Cardoso Pinto pode fazer o seu primeiro jogo na era Brain.
  • Pilares: Jorge Segurado (Direito), Christian Spachuck (Colomiers), João Júnior (CDUL) e Francisco Fernandes (Tyrosse);
  • Talonadores: João Correia (Direito) e Bernardo Costa Duarte (Agronomia);
  • 2ª linha: Rui D'orey (Direito), Juan Severino (Agronomia), João Pratas (Agronomia), Rafael Simões (Belenenses) e Gonçalo Uva (Montpellier);
  • 3ª linha: Vasco Uva (Direito), Guilherme Megre (Agronomia), Laurent Balangué (Colomiers), Julien Bardy (Clermont) e Tiago Girão (CDUL);
  • médios: José Pinto (Direito), Duarte Cardoso Pinto (Agronomia), Pedro Cabral (CDUL) e Joe Gardener (Aubenas);
  • Centros: Pedro Silva (Belenenses), Francisco Mira (Agronomia), Bernardo Silveira (CDUL), Frederico Oliveira (CDUL);
  • Pontas: Gonçalo Foro (CDUL), António Aguilar (Direito), José Lima (Agronomia);
  • Defesas: Pedro Leal (Direito), Manuel Castro Pereira (Cascais)
No último Portugal vs Candá a equipa nacional alinhou com:


(1.) João Júnior (2.) João Correia (3.) Diogo Fialho
(4.) David dos Reis (5.) Juan Severino
(6.) Tiago Girão (8.) Vasco Uva (7.) Salvador Palha
(9.) Pedro Leal (10.) Pedro Cabral
(11.) Gonçalo Foro (12.) Diogo Mateus (13.) David Mateus (14.) Adérito Esteves
(15.) Pedro Silva

No banco estavam: Juan Murré, Duarte Figueiredo, Valter Jorge, Julein Bardy, Lourenço Kadosh, Duarte Cardoso Pinto e Diogo Gama.

(fotografias da autoria de Miguel Carmo)

domingo, 21 de novembro de 2010

Portugal vence Namíbia

Os Lobos estão de parabéns.
E à 5ª é de vez. A selecção portuguesa venceu a segunda melhor selecção africana por um resultado contundente. 24 pontos marcados contra 12 sofridos foram o suficiente para a selecção nacional subir um lugar e reservar o 21º lugar no ranking mundial da IRB.

Apesar da exibição não ter sido a melhor valeu o resultado num jogo que já tinha sido apelidado por Errol Brain como o mais difícil dos 3 "test matches". E o jogo ao inicio provou que Errol estava certo. A selecção da Namíbia foi para a frente do marcador com três penalidades ao mesmo tempo que Portugal respondia com a mesma convicção através de Joe Gardener. Chegou-se ao intervalo com o mesmo resultado do último jogo entre as duas selecções: 12-9, mas desta vez a vantagem era para Portugal.

Na segunda parte Julien Bardy deu o mote para um jogo histórico. Logo ao principio do reinicio da partida o jogador do Clermont  finalizou com ensaio uma grande jogada de António Aguilar. O resultado passava para 17-9 e ao longe previa-se uma boa partida para os Lobos.

O jogo desenrolava-se e os jogadores portugueses começavam a ganhar confiança. Francisco Mira e Gonçalo Foro, que entraram para os lugares de Pedro Silva e José Lima, trouxeram outro folgo à equipa assim como Rui D'orey e Laurent Balangué. Com estes novos jogadores Portugal marcou o 2º ensaio num maul dinâmico que só terminou na área de ensaio com Gonçalo Uva a fazer a pressão na bola necessária para o àrbitro apitar e confirmar o ensaio.

Vasco uva numa imagem espectacular (fotografia da autoria de Miguel Carmo)
  1. Francisco Fernandes
  2. João Correia
  3. Anthony Alves
  4. Gonçalo Uva (5)
  5. Juan Severino
  6. Vasco Uva (Laurent Balangué)
  7. Julien Bardy (5) (Rui D'orey)
  8. Tiago Girão
  9. José Pinto
  10. Joe Gardener (14)
  11. António Aguilar
  12. Pedro Silva (Francisco Mira)
  13. Frederico Oliveira
  14. José Lima (Gonçalo Foro)
  15. Pedro Leal
A 3º linha portuguesa realizou uma grande exibição.
Errol Brain conseguiu a primeira vitória ao comando da equipa nacional. A exibição não foi a melhor, tal como Errol afirmou no final do encontro, mas a vitória é bastante motivadora para o embate diante o Canadá na próxima semana. A única dúvida reside na recuperação de Julien Bardy que se lesionou com alguma gravidade no nariz. Aquele que foi o melhor em campo diante da formação americana, a não recuperar, será uma ausência de peso, principalmente quando vem sendo dos melhores (senão o melhor) em campo.

Mais uma vez, participe e escolha aquele que na sua opinião foi o melhor em campo no jogo diante da Namíbia, votando na sondagem colocada na tabela lateral.

(fotografia retiradas de http://www.fotorugby.blogspot.com/)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Convocados para o Portugal vs Namíbia.

Do XV de 2009 para o de 2010 são muitas as diferenças.
Sem alterações! É assim que se dá a conhecer XV de Errol Brain para o desafio frente à Namíbia.

Matendo as apostas em Juan Severino a 2ª linha, Joe Gardener a abertura, Frederico Oliveira a centro e José Lima a ponta, o treinador da selecção portuguesa parece afirmar que conta com estes jogadores para formar aquele que provavelmente será o XV base da Selecção.

Joe Gardener volta a alinhar com a camisola 10.
A única diferença consiste na posição de pilar esquerdo. Christian Spachuk que não pode dar o seu contributo devido aos compromissos com o seu clube (Colomiers) onde é titular, saíu da convocatória entrando para o seu lugar Francisco Fernandes do Tyrosse (1º classificado do grupo 4 da Fed.1). É um regresso saudado daquele que mostrou muuitos bons desempenhos durante a campanha das 6 Nações B deste ano.
  1. Francisco Fernandes
  2. João Correia (cap.)
  3. Anthony Alves
  4. Gonçalo Uva
  5. Juan Severino
  6. Vasco Uva
  7. Julien Bardy
  8. Tiago Girão
  9. José Pinto
  10. Joe Gardener
  11. António Aguilar
  12. Pedro Silva
  13. Frederico Oliveira
  14. José Lima
  15. Pedro Leal
  16. Bernardo Costa Duarte
  17. João Júnior
  18. Rui D'orey
  19. Laurent Balangué
  20. Pedro Cabral
  21. Francisco Mira
  22. Gonçalo Foro
Como se pode reparar, se no XV titular apenas saíu Spachuk (pelas razões já apresentadas), no banco as alterações foram muitas. Lionel Campergue e Ivo Morais (titulares no seus clubes) foram dispensados e para os seus lugares entraram Bernardo Costa Duarte e, o regressado, João Júnior. Rui D'orey que tem sido um dos jogadores de destaque do Direito onde tem actuado quase sempre como titular tendo marcado 3 ensaios no campeonato, manteve-se na convocatória.

No último treino antes da conferencia de imprensa (hoje às 12h00) destaque vai para a presença de Eduardo Acosta e Bernardo Silveira entre os grupo de convocados. Estes dois jogadores poderam vir a integrar o grupo de convocados para o último jogo diante do Canadá.

Esta é a 5ª vez que os Lobos defrontam a equipa africana, e o resultado mais equilibrado foi alcançado no ano passado: 9-12 a favor dos africanos. Dessa equipa que jogou há 1 ano atrás apenas João Júnior, João Correia, Juan Severino, Gonçalo Uva, Vasco Uva, Tiago Girão, Pedro Leal, Pedro Cabral, Pedro Silva, Frederico Oliveira, Gonçalo Foro e António Aguilar repetem a chamada. Ou seja em 22 convocados 10 jogadores não estavam na convocatória do ano passado. Um sinal de mudança! Esperemos que a tendeência de resultados também mude e se alcance a primeira vitória.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

E lá fora os portugueses dão nas vistas

Joe continua a mostrar o porquê de ser um jogador importantíssimo para um XV.
O melhor marcador do "Campeonato Super Bock" 2009/10 e recentemente nº10 da selecção portuguesa, Joe Gardener, continua a dar nas vistas lá fora.

Na sua primeira época em França, o australiano naturalizado português, é já o melhor marcador do clube e uma das coqueluches do Aubenas, que actua na Federale 1 (equivalente à 3ª Divisão). De relembrar que na actual Federale 1 actuam inúmeros jogadores das mais diversas nacionalidades e muitos desses são profissionais e internacionais.

A jogar como defesa, Joe destaca-se, naturalmente, pelos pontos que marca na conversão de ensaios e transformação de penalidades. Ao longo do campeonato, que já vai na 9 jornada, embora Joe só tenha realizado 7 partidas (todas a titular), o ex-Agronomia já marcou 110 pontos, equivalente a mais de 15 pontos por jogo. Sem ainda se ter estreado a marcar ensaios, Joe é actualmente o 3º melhor marcador de todos os grupos da Federale 1, logo atrás de .... Yannick Ricardo.

Yannick marcou mais de 50% dos pontos do seu clube.
O jovem internacional sub-21 português, que esteve na época passado ao serviço do Benfica tendo realizado poucos jogos com a camisola encarnada, é o 2º melhor marcador da Fed.1 com nada mais nada menos que 117 pontos em 8 jogos. Ao serviço do seu clube, Castagnet, que se encontra em 2º lugar do Grupo 4, 4 pontos atrás do Tyrosse de Francisco Fernandes, o médio abertura é um dos jogadores de destaque do campeonato e muitos dizem ser merecedor de uma oportunidade na selecção nacional de XV. Com 23 anos Yannick que já mostrou todo o interesse em representar as cores do país, começa a ganhar argumentos para um oportunidade, isto apesar da forte concorrêcnia: Joe Gardener, Cardoso Pinto, Pedro Cabral e mais recentemente Manel Costa.

  • Wilfried Rodrigues - ponta (Massy) - apareceu a titular em 2 dos 3 jogos que realizou até ao momento, tebndo marcado 1 ensaio.
  • Emmanuel Rebelo - formação (Dijon) - titularíssimo, conta um ensaio.
  • Anthony Alves - pilar (Montauban) - jogou a titular 2 dos 3 jogos que realizou. Não tem nenhum ponto marcado
  • Joe Gardeneer - defesa (Aubenas) - 7 jogos (sempre titular), já marcou 110 pontos.
  • Mateus Mendes - centro (Aubenas) - 4 jogos (3 a titular), 0 pontos.
  • David Penalva - linha (Nice) - 6 jogos (sempre titular), 0 pontos.
  • Ivo Morais - pilar (Chateaurenard) - 6 jogos (titular em 5), 0 pontos.
  • Marco Morais - linha (Chateaurenard) - 0 jogos.
  • Nelson Soares - centro (Romans) - 6 jogos (4 a titular), 0 pontos.
  • Lionel Esteban - pilar (Graulhet) -  6 jogos (4 a titular), 0 pontos. (assinou como "Medical Joker" pelo ALBI, 1º classificado da PRO.D2) 
  •  Aurélien Beco - linha (Limoges) - 7 jogos (titularíssimo), 0 pontos
  • Christophe Penaud - defesa (Niort) - 3 jogos (2 a titular), 0 pontos.
  • Francisco Fernandes - pilar (Tyrosse) - 8 jogos (4 a titular), 1 ensaio.
  • Yannick Ricardo - abertura (Castagnet) - 9 jogos (titular em 9), com 117 pontos é o 2º melhor marcador da Federale 1.
  • Thomas da Costa - pilar (Lourdes) - 9 jogos (titular em 7), 0 pontos.
  • Adrien Timoteo - ponta (Lourdes) - 9 jogos (titularíssimo), 1 ensaio.
  • Georges Simões - linha (Mauléon) - 0 jogos.
  • Emanuel Rodrigues - defesa (Cahors) - 8 jogos (titular em 7), 2 ensaios num total de 13 pontos.
  • Arnard Ferreira - linha (Cahors) - 7 jogos (sempre titular), 0 pontos.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Pré-convocados para a recepção à Namíbia

Errol e Pico com novos testes à porta?
Os lobos voltaram aos trabalhos. Depois de um último jogo onde se registraram prestações bastante positivas, principalmente nos avançados, o treinador neozelandês voltou a chamar os jogadores para prepararem o próximo jogo frente à Namíbia no dia 20 deste mês.

Na última vez que se defrontaram Portugal perdeu por 9 pontos a favor contra 12 pontos dos africanos.
Tal como Errol anunciara na conferência de imprensa antes do jogo contra os EUA, este jogos são para ganhar, mas mais não deixam de ser jogos teste cujo objectivo pode consistir em experimentar jogadores e/ou sistemas de jogo. É nesta linha que se fez a nova convocatória.
Do jogo de sábado passado saíram 3 jogadores. Todos eles da primeira linha e cujos compromissos com os clubes (em França) não os deixavam continuar em Portugal. Por seu lado e conforme tinha sido decidido na altura da viagem do presidente da FPR a França, outros portugueses a actuar em França podem agora vir dar o seu contributo à selecção de Portugal. Assim, Francisco Fernandes, de 26 anos e que já representou Portugal na altura das 6 Nações B deste ano, volta às contas da equipa técnica nacional. Para os mais esquecidos este foi um jogador que efectuou grandes exibições nos 5 jogos efectuados.

Joe Gardener, que foi um dos melhores diante do EUA, têm a concorrêcnia de Cardoso Pinto e Cabral. 
Ao lado deste regresso, aparecem também futuras promessas do rugby nacional. Jogadores que já estiveram nos treinos da selecção na preparação do primeiro teste da "Super Bock Cup". São eles João Pratas, Bernardo Silveira, Rafael Simões, Manuel Castro Pereira e Guilherme Megre.
  • Pilares: Jorge Segurado (Direito); João Júnior (CDUL); Francisco Fernandes (Tyrosse); Anthony Alves (Montauban);
  • Talonador: João Correia (Direito); Bernardo Costa Duarte (Agronomia);
  • 2ª linha: Rui D'orey (Direito); Juan Severino e João Pratas (Agronomia); Rafael Simões (Belenenses); Gonçalo Uva (Montpellier);
  • 3ª linha: Vasco Uva (Direito); Tiago Girão (CDUL); Guilherme Megre (Agronomia); Julien Bardy (Clermont); Laurent Balangué (Colomiers);
  • Médios: José Pinto e Pedro Leal (Direito); Duarte Cardoso Pinto (Agronomia); Pedro Cabral (CDUL)
  • Centros: Francisco Mira e José Leal (Agronomia); Bernardo Silveira (CDUL) Pedro Silva (Belenenses);
  • Pontas: António Aguilar (Direito); Gonçalo Foro e Frederico Oliveira (CDUL);
  • Defesas: Joe Gardener (Agronomia); Manuel Castro Pereira (Cascais)
Julein Bardy, que foi o homem do jogo frente aos EUA, continua disponível para ajudar a selecção de Portugal. É uma óptima noticia para os portugueses que assim podem contar com um dos melhores jogadores a vestir a camisola dos lobos nos últimos anos, principalmente quando o mesmo se encontra vinculado a um clube do Top-14. É bom sinal saber que o clube o libertou para estes jogos, isto depois de se saber oficialmente que o jogador queria, e muito, vestir a camisola dos Lobos.
Laurent Balangué (Pro-D2) e Anthony Alves (Fed-1), que fizeram parte da campanha da selecção sub-21 no Campeonato da Europa de 2009 em Madrid, continuam nos trabalhos da selecção. Estes jogadores efectuaram um bom jogo no sábado passado e certamente que serão uma boa aposta para o futuro, visto que ambos têm 22 e 21 anos, respectivamente.

Os próximos treinos da Selecção estão marcados para:
dia 16 - 13h00 e 19h30
dia 17 - 19h30
dia 18 - 13h00

Desta selecção sairam muitos jogadores que hoje em dia completam os quadros das selecções nacionais.
Em nota de curiosidade: Bernardo Silveira (CDUL), João Pratas (Agronomia), Laurent Balangué (França, ProD2), Anthony Alves (França, Fed.1), Diogo Miranda (Belenenses), Luís Sousa (Direito), Manuel Costa (Belenenses) e Duarte Moreira (Belenenses), jogadores habitualmente chamados aos trabalhos das selecções de XV e de VII, fizeram parte da campanha do Campeonato da Europa de 2009 em Madrid onde se alcançou um 3º lugar com vitórias sobre Alemanha e Rússia e apenas uma derrota frente à Roménia. (Ver desempenhos AQUI)


domingo, 14 de novembro de 2010

"Campeonato Super Bock"

Realizou-se hoje a 8ª jornada do Campeonato "Super Bock" e as surpresas foram muitas. Da Tapada ao Restelo verificaram-se resultados que não eram esperados, mais no estádio do Belenenses que na Tapada, onde a Agronomia vai subindo de forma depois de na semana passada ter arrecadado 4 pontos no Estádio Universitário.

Mas não foi na Tapada que se deu a grande surpresa. EM pleno Restelo o Belenenses foi surpreendido por uma boa Académica que depois de uma boa época em 2009/10 parece disposta a estragar, atrapalhar e até surpreender os apelidados de 4 grandes, tentando um lugar entre os primeiros 4 lugares e assim alcançar tão ambicionada final four. impossível? Não. Este ano a Académica já ganhou à Agronomia e ao Belenenses, para além de ter terminado a primeira parte do jogo contra o Direito (em Monsanto) a vencer por 16-22.

Vitória histórica no Restelo faz os homens de Coimbra sonhar.
Com estes resultados os pretos parecem estar perto de uma surpresa. Afinal a distância entre o 5º classificado e o 4 é de 6 pontos. Mas não é o único clube a arriscar uma surpresa.

O Benfica, que começou bastante mal o campeonato, logo com um derrota em casa frente ao Técnico, tem vindo a subir de forma e nos últimos 4 jogos somou 4 vitórias (Académica, CRAV, Belenenses e Técnico). A equipa da Luz, que joga na Sobreda, parece estar no bom caminho e quem se aventura a ir ver um jogo dos encarnados não sai desapontado. Nos avançados os encarnados contam com jogadores do hemisfério sul bastante fortes, nomeadamente o nº8 (Matt Time) e o 2ª linha (Thomas Flemming), para além da promessa portuguesa Filipe Pereira (internacional sub.19).

O médio formação argentioa está a ser um dos melhores jogadores do campeonato.
Mas a mais valia da equipa de Pedro Gonçalves está nos três quartos. Andres Odstrill (ex-V. Setubal), Damien Steele (ex-Belenenses), Gregory Mullany, Gregory Evens (internacional sub-19 por Gales) e ainda os portugueses Filipe Grenho, Bruno Mestre e João Ventosa, fazem esta linha de três-quartos uma das mais criativas do campeonato. O destaque natural vai para Andres Odstrill que já mostrou ter uma qualidade fora do normal, com uma grande irreverência, um bom passe, um bom jogo ao pé e ainda uma grande velocidade capaz de apanhar de surpresa qualquer defesa.

A equipa encarnada segue com 4  jogos 4 vitórias.

Hoje os encarnados foram às Olaias vencer o Técnico aumentando a distância pontual entre os dois. Curiosamente a distância entre Técnico e Benfica (7º e 6º classificados) é maior que diferença pontual entre Benfica e Agronomia (6º e 4º).

Com as recentes derrotas do Belenenses e um inicio de campeonato tremido de Agronomia, Benfica e Académica podem ser verdadeiras surpresas caso as equipas de maior renome não tenham cuidado nas próximas jornadas.

(fotografias:www. fotorugby.blogspot.com)